A nutricionista Bruna de Oliveira foi convidada para participar do IV Curso Introdutório e I Mostra Científica da Liga Acadêmica de Nutrição – La Nutri, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Na noite de sexta-feira (10/06), sua fala compôs a mesa intitulada “Fome oculta, você sabe o que é? A atuação do nutricionista e seus reflexos na Saúde Pública” contando também com a participação da nutricionista mestranda em Nutrição e Saúde Ingryd Garcia e a estudante de enfermagem e moradora da casa dos estudantes da UFG Verciane Gomes.

Da direita para a esquerda: Bruna, Ingryd e

Da direita para a esquerda: Bruna, Ingryd e Verciane


“Todo mundo passa fome”
, afirma a nutricionista ao relacionar os impactos negativos do sistema agroalimentar vigente na saúde humana e ambiental, desdobramento do intensivo uso de agrotóxicos e sementes geneticamente modificadas, popularmente conhecidas como transgênicos. Bruna também trouxe sua trajetória acadêmica, suas aprendizagens e desafios para construir uma formação não focada nas dimensões biomédica e hospitalar que estão presentes em maior parte do currículo acadêmico dos cursos de nutrição no nível superior.

Também, destaca a importância do/a profissional nutricionista ampliar seus horizontes em relação às articulações possíveis entre a nutrição e outras ciências para a transposição do problema que acomete a sociedade hoje. “Da semente à gôndola do supermercado há uma complexa teia que merece atenção dos nutricionistas, podemos trabalhar em qualquer dessas etapas com a nossa visão de saúde e cuidado”, coloca Bruna.

Na tarde de sábado (11/06), Bruna foi uma das mediadoras da roda de conversa sobre Educação Popular coordenada pela nutricionista mestra em Saúde Pública Aryandene Furtado. A oficina ministrada a duas turmas tratou sobre a importância de conhecer e executar os princípios da Educação Popular na atuação do nutricionista na perspectiva de Promoção da Saúde e Direitos Humanos.

Em suas falas, as nutricionistas destacam a importância de transpor os muros da universidade para alcançar uma formação oriunda dos saberes populares dos movimentos sociais, comunidades tradicionais e povos originários. Conceitos como justiça social, paridade, intersetorialidade e projeto de felicidade foram colocados na roda para compartilhamento de percepções e reflexão propositiva de como eles são (ou não) executados no cotidiano de práticas dos profissionais de saúde, especialmente nutricionistas.

13403793_1052525238175316_972785747622138240_o

Os dois dias de evento foram apresentaram a amplitude de possibilidades das áreas de atuação do nutricionista e como desenvolver um senso crítico fundamentado na Saúde Pública e no conceito ampliado de saúde para construção de um profissional integral e implicado com a cidadania, a equidade e direitos humanos. O OBHA celebra esses espaços de partilha e integração entre os saberes acadêmicos e populares. Agradecemos o convite da Liga e permanecemos disponíveis para novos momentos de troca e aprendizagens.

Na sessão + água no feijão compartilhamos notícias, conteúdos, eventos e outras matérias produzidas por entidades, organizações e/ou pessoas pertinentes às temáticas trabalhadas no OBHA.