Texto de Wagner Vasconcelos publicado pela Fiocruz Brasília.

 

Começou ontem, em Maputo (Moçambique), o curso “Formação em Governança em Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) e Institucionalidade das Políticas Públicas”. Promovido pela Fiocruz Brasília, por meio da Escola Fiocruz de Governo (EFG), o curso se destina a profissionais ligados a instituições públicas e privadas do país africano. O lançamento do curso, na manhã desta terça-feira em Maputo (madrugada no Brasil), contou com uma mesa de abertura da qual fizeram parte a coordenadora do Programa de Alimentação, Cultura e Saúde (Palin) da Fiocruz Brasília, Denise Oliveira e Silva; o primeiro-secretário da Embaixada do Brasil em Moçambique, Daniel Ferreira, e a secretária-executiva do Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional de Moçambique, Edna Possolo.

A diretora-executiva da EFG, Fabiana Damásio, também presente à abertura, destaca a modalidade em que o curso será ministrado, optando-se por um modelo de oficinas em vez do tradicional modelo de aulas. Ela explica que pelo menos três grandes discussões conduzirão as atividades. A primeira delas gira em torno do direito humano à alimentação adequada. Uma segunda discussão deverá se aprofundar em conceitos de SAN e, a terceira, se desdobrará em dois tópicos principais: a desnutrição infantil e a valorização da cultura alimentar e respeito aos ritos e tabus alimentares – uma vez que exercem forte influência na alimentação de todas as populações.

O curso se estende ao longo desta semana, com aulas das 8h30 às 16h, até o dia 19 em Maputo. Em seguida, será a vez de promove-lo no distrito de Monapo, na província de Nampula. Os profissionais que passarão pelo curso deverão atuarcomo multiplicadores de conhecimentos nas demais províncias de Moçambique, com supervisão à distância da Fiocruz.

A realização do curso resulta de acordo firmado entre representantes do governo e da embaixada moçambicana, dos ministérios da Saúde, Desenvolvimento Social e Relações Exteriores do Brasil e da Fiocruz (Vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação; Centro de Relações Internacionais em Saúde e Fiocruz Brasília).

Denise Oliveira e Silva, da Fiocruz Brasília, explica que a proposta é elaborar um programa de formação de pessoas em SAN, englobando desde cursos técnicos (nível médio), especialização até mestrado e doutorado, envolvendo toda a estrutura da Fiocruz. Tal iniciativa atende acordos internacionais firmados pelo governo brasileiro (Sul/Sul e Palops – Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e está dentro do plano Quadrienal da Fiocruz.

Na sessão + água no feijão compartilhamos notícias, conteúdos, eventos e outras matérias produzidas por entidades, organizações e/ou pessoas pertinentes às temáticas trabalhadas no OBHA.